Seguidores

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

QUARESMA


O que é a quaresma?

A Quaresma é um período de quarenta dias, que se inicia na Quarta-feira de Cinzas até a Quinta-feira Santa, com a Missa da Ceia do Senhor, antes do anoitecer.

Neste tempo, a Igreja nos convida a uma profunda preparação para a grande Festa da Páscoa, mediante a pratica da oração, da penitência, do jejum, e da  esmola.

Viver a Quaresma é reconhecer a presença de Deus em nossa caminhada.

O número quarenta na Bíblia

Biblicamente, quarenta é o número da espera, da preparação, da penitência, do jejum e até do castigo.

Recordemos:
ü  Por quarenta dias e quarenta noites choveu durante o dilúvio (Gn 7,4). Os quarenta dias e quarenta noites de jejum total de Moisés no Monte Sinai se preparando para receber as Tábuas da Lei.
ü  Os quarenta anos de peregrinação dos israelitas  no deserto rumo à Terra Prometida (Ex 16,35).
ü  A cidade de Nínive fez penitência durante quarenta dias para escapar do castigo divino.
ü  Elias viajou durante quarenta dias até chegar ao monte Horeb, onde Deus se manifestou na brisa (IRs 19,8).
ü  Jesus jejuou quaren­ta dias no deserto, preparando-se para a sua missão (Mt 4,2; Mc 1,13; Lc 4,2).
ü  Após sua ressurreição, apareceu durante quarenta dias aos discípulos (At 1,3).

Quarenta é, portanto, um número re­dondo que indica um tempo de preparação para algo que virá.

O sentido pascal da Quaresma

A Quaresma não pode ser compreendida como um tempo de sacrifícios e sofrimentos desligados da vitória de Cristo sobre a morte na Páscoa. Na verdade, participamos dos sofrimentos de Cristo para também participar de sua glória. Preparados e purifi­cados pelo tempo penitenciai, os cristãos renovam sua consciência de batizados: banhados e iluminados em Cristo.

Tempo de Batismo e de penitência

O Concílio Vaticano II insistiu no duplo sentido da Quaresma: preparação ou lembrança do Batismo e tempo de fazer penitência. E o tempo privilegiado para preparar os adultos para receber o Ba­tismo. Já a renovação batismal se dá através da escuta mais atenta aos apelos da Palavra de Deus.

Renovar o Batismo

Trata-se de tornar-se mais discípulo, mais seguidor de Jesus. Através do Batismo, Cristo nos converteu e nos reconciliou com o Pai. Por sua morte na cruz e por sua ressurreição, somos uma nova criatura.

Fazer penitência
           
A penitência cristã está fundada no Batismo, pois quem cai no pecado pode renovar a aliança com Deus através do sacramento da Reconciliação. O pecado, o egoísmo e o isolamento do dia-a-dia rompem nossa relação com Deus, que é sempre fiel ao seu plano e por isso dá novas oportunidades para voltarmos a ele.

A conver­são, entretanto, precisa de arrependimento, mudança de atitudes e reparo do mal causado. Por isso, é tempo de deixar-se conduzir pelo deserto da vida. Esvaziar-se de muitas coisas que não nos ajudam ao longo do caminho. Ir para o "deserto" da vida significa abandonar os velhos vícios, condutas e posturas que nos impedem de ver Deus e amar os irmãos. É rever nossas atitudes, reconhecer nosso lado negativo para superá-lo e vencê-lo.

Práticas quaresmais: oração, jejum e esmola

A Quaresma propõe alguns exercícios que mostram o caráter da conversão.
Na Quarta-feira de Cinzas, escuta-se o evangelho de Mateus (6,1-8.16-18), em que Jesus faz referência à esmola, à oração e ao jejum. São posturas que visam a uma nova relação do ser hu­mano consigo mesmo, com os outros, com a natureza e com Deus.

Como celebrar a Quaresma

Por ser um tempo penitencial de volta ao Pai, de refazer o caminho da vida, é preciso valorizar os sinais comunitários que in­dicam essa condição.

Destaca-se o ato penitenciai nas celebrações para cantar a misericórdia de Deus, que acolhe quem se afastou e deseja voltar para casa do Pai.

O madeiro da cruz ganha destaque como caminho necessário para a Páscoa. Dentre os gestos, o estar de joelhos revela a condição da criatura humana que se abaixa e adora o mistério infinito do amor misericordioso do nosso Deus.

É uma época especial para o sacramento da Reconciliação e as cele­brações penitenciais comunitárias.

A piedade popular nos convida à oração da via-sacra, para trilharmos, com Jesus, o caminho que passa pela cruz, mas que conduz à ressurreição.

A Igreja reveste-se de roxo, recordando a atitude de recolhimento, reflexão, penitência, vigilância.

Não can­tamos o Aleluia nem o Glória, também não colocamos flores na igreja nem usamos muitos instrumentos musicais.

Para destacar o sentido batismal, é importante usar o rito de aspersão com água benta nas celebrações.

Fonte:A mesa do pão./Paulinas

2 comentários:

  1. oi Tia Helena, vi seu comentário hoje rsrsrs. Você me desejou boa noite e eu venho te desejar um BOM DIAAAA!!!!!

    PAZ E LUZZZZZZZZ

    ResponderExcluir
  2. Oi, já estou te seguindo!!!! :)Deus abençoe.

    ResponderExcluir

Consagração ao Imaculado Coração de Maria

Ó coração Imaculado de Maria, repleto de bondade, mostrai-nos o vosso amor. A chama do vosso Coração, ó Maria, desça sobre todos os homens! Nós vos amamos infinitamente! Imprimi no nosso coração o verdadeiro amor, para que sintamos o desejo de Vos buscar incessantemente. Ó Maria, vós que tendes um Coração suave e humilde, lembrai-vos de nós quando cairmos no pecado. Vós sabeis que todos os homens pecam. Concedei que, por meio do vosso materno e Imaculado Coração, sejam curados de toda doença espiritual. Fazei que possamos sempre contemplar a bondade do vosso materno Coração e convertamo-nos por meio da chama do vosso Coração. Amém.